Rendimento de brigadeiro: quanto custa cada porção e como definir o preço?

Uma das dificuldades que os empreendedores iniciantes têm é em relação à precificação de seus produtos. Para a definição correta do valor de um produto existem fatores objetivos, como o preço de cada ingrediente, e valores que parecem subjetivos, como o valor da mão de obra e o máximo que o público-alvo está disposto a pagar.

Um ponto importante a respeito do rendimento do brigadeiro é entender que os custos de produção não estão ligados apenas aos ingredientes, mas a tudo o que envolve a sua concepção. Saber identificar o valor de cada porção é importante para a definição do estoque e da quantidade de ingredientes que será adquirido a cada ciclo de venda.

Neste post, vamos entender o que deve ser analisado para a definição do preço do brigadeiro e como fazer esse cálculo. Confira!

O que deve ser analisado para definição do preço do brigadeiro?

Muita gente, ao definir o preço de um doce, acaba focando apenas no custo dos ingredientes. Porém, há outras variáveis que devem ser analisadas nessa precificação, por exemplo:

  • custos fixos e variáveis — engloba tudo o que for necessário para a produção do brigadeiro, como água, luz, gás, gasolina, internet, produtos de limpeza, aluguel etc.; 
  • valor da mão de obra — é um valor subjetivo, que você deverá definir levando em conta não apenas o período de preparo do produto, mas o planejamento e tempo gasto para a compra dos ingredientes;
  • margem de lucro — você não pode vender o seu produto por um valor que apenas cubra os custos, você precisa de um margem de lucro para criar o capital de giro;
  • público-alvo — se você tem um produto de qualidade e um público disposto a pagar um pouco mais, pode aumentar a margem de lucro, caso contrário, precisará adaptar o preço para conseguir o melhor valor possível.

Como calcular o preço final?

Como falamos acima, existem vários fatores que devem ser analisados na precificação final de um brigadeiro. Esses valores variam de região para região e de acordo com o público-alvo.

O primeiro passo para a definição do valor final é somar o preço dos ingredientes — busque por lojas que vendam no atacado, pois assim o custo final será menor. Em seguida, defina o custo de cada porção de acordo com o valor final da compra dos ingredientes. É importante não se esquecer de adicionar os valores referentes às embalagens e forminhas.

Para isso, divida a quantidade de porções pelo valor final da compra. Por exemplo, se você gastou 120 reais para produzir 500 brigadeiros no mês, o valor de cada um é 24 centavos.

Sabendo o custo de cada porção, é possível adicionar os custos fixos e variáveis, como água, luz, telefone, gás, gasolina e outros. Como esses valores também são pagos mensalmente, fica mais fácil adicioná-los ao custo unitário. 

Some todos os valores e divida pela quantidade de poções feitas no mês. Supondo que a soma de todos os custos tenha dado 750 reais, ao dividir pela quantidade de porções do mês, que em nosso exemplo são 500, teremos o valor de 1 real e 50 centavos reais para cada porção. Nesse momento, cada unidade está custando R$1,74.

Depois, adicione o valor de mão de obra, considerando quanto você pretende ganhar por hora. Se o valor final der 2000 reais, por exemplo, divida pela quantidade de porções feitas no mês, que em nosso caso são 500 e teremos 4 reais por porção. Nosso brigadeiro está em R$5,74 a unidade. Adicionando uma margem de lucro de 50%, temos um valor final de R$8,61 a unidade, que podemos arredondar para R$8, para facilitar a venda.

Esperamos que, após a leitura deste post, você tenha entendido a importância do rendimento de brigadeiro para a definição dos preços. Saber calcular os valores de forma correta evitará que você cobre menos do que precisa para cobrir os cursos e que cobre mais do que o mercado está disposto a pagar, ficando com produto encalhado.

Gostou do post? Então, siga nossa página do Facebook e receba em primeira mão as nossas novidades.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.